(99) 2101-3900 / (99) 2101-3901

Novembro Azul; a importância de se cuidar

Novembro Azul; a importância de se cuidar

Mês de combate ao câncer de próstata.

Ascom, Marcelo Nunes

O mês de novembro é marcado pelo combate ao câncer de próstata, visto que no dia 17, é o dia mundial do combate ao tumor. No Brasil, durante todo o mês são realizadas inúmeras ações em prol da conscientização da população masculina para a prevenção e realização do exame da patologia.  A doença é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens brasileiros de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca). A “Campanha Novembro Azul” também tem como objetivo falar sobre sobre a neoplasia.

(Foto: imagem divulgação)

 

A patologia é mais comum na fase adulta, estando presente com maior incidência em homens a partir dos 50 anos, também são vítimas do tumor pessoas com presença da doença em parentes de primeiro grau, como pai, irmão ou filho. Em 2018, o Instituto Nacional de Câncer (Inca), estimou o diagnóstico de 68 mil novos casos. Decorrente aos índices crescente da patologia nos últimos anos,  a “Campanha Novembro Azul” ganhou proporções semelhantes a “Campanha Outubro Rosa”

 

No estágio inicial o câncer de próstata pode ser imperceptível, visto que não apresenta sintomas agressivos. Porém, na fase avançada pode causar alguns, como: micção frequente, fluxo urinário fraco ou interrompido, vontade de urinar frequentemente à noite (Nictúria), sangue na urina ou no sêmen,disfunção erétil. É recomendados que homens acima dos 40 anos, realizem consultas periodicamente com profissionais da saúde. 

 

Para os homens diagnosticados com o câncer de próstata, há alguns tipos de de tratamento, pode ser eles; conduta expectante, cirurgia, radioterapia, criocirurgia, hormonioterapia, quimioterapia e vacinas. Contudo, é importante pontuar, que para o início de qualquer tratamento médico é preciso que o paciente tenham o diagnóstico médico, também, é importante evitar a automedicação em caso de suspeita do tumor. O câncer de próstata como alguns outros, tem cura, basta realizar o tratamento forma correta e seguir as orientações de profissionais da saúde. 


Sem comentários

    Seja o primeiro a comentar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *